Amar a Si Mesmo

 

 

O beijo é a balança do amor, que mostra a importância do relacionamento de um casal, é como um diálogo com as sensações, tornando-se uma importante carícia cheia de magia e erotismo. Por isso mesmo ele demonstra a sinceridade da relação do casal, representando o selo da união deles, trazendo uma sensação de bem-estar porque mexe com as “endorfinas”.

Ele é o precursor do ato amoroso, a quinta essência do amor. Nele usamos músculos, sentidos e substâncias como a albumina, água, etc.

Fazendo o mesmo efeito que o beijo, a alegria pura, o riso, as boas lembranças, os bons sentimentos, o relaxamento e a meditação proporcionam equilíbrio e estimulam o cérebro a produzir as “beta-endorfinas”, que são parecidas com a morfina, mas que se diferenciam por serem mais analgésicas que esta, gerando bem estar, normalizando a pressão arterial e estimulando a defesa orgânica.

Também é muito importante o toque, o abraço, o sussurro, enfim todo o processo do namoro com olhares e tudo o mais necessário para liberar toda essa energia.

Por tudo isso, ame-se, estime-se, olhe-se no espelho, sorria para você mesmo, dê um bom dia a você, abrace a si mesmo, porque para se amar os outros é necessário amar a si mesmo primeiro. E, não esqueça de mentalizar, todos os dias, bons pensamentos para você, olhar a natureza, sorria, dê risadas, espalhe beijos e abraços, enfim, espalhe mensagens de alegria e otimismo pela vida à sua volta.

 

Selma Di Iulio

Artigos

<< PÁGINA PRINCIPAL >>