A Programação Neurolinguística (PNL)

 

 

A PNL estuda como o cérebro e a mente funcionam, como criamos nossos pensamentos, sentimentos, estados emocionais e comportamentos e como podemos direcionar e otimizar esse processo. Ela estuda os padrões ("programação") criados pela interação entre o cérebro ("neuro"), a linguagem ("linguística") e o corpo, ou seja, estuda como o ser humano funciona e como ele pode escolher a maneira que quer funcionar. O primeiro modêlo da PNL foi criado há cerca de 30 anos por Richard Bandler e John Grinder, baseando-se nos padrões de linguagem e de comportamento de Fritz Perls (criador da Gestalt-terapia) e Virginia Satir (terapeuta de família) e posteriormente de Milton Erickson, médico e psicólogo e um dos maiores hipnoterapeutas da história.

A PNL começou com um processo de modelagem. Se alguém faz muito bem uma coisa, com a PNL podemos levantar o processo, a estratégia, fazer igual e obter os mesmos resultados. A PNL pode ser utilizada nos mais diversos campos, tais como comunicação, terapia, aprendizagem, saúde, criatividade, liderança, gerenciamento, vendas, consultoria e treinamento em empresas.

Cada indivíduo cria modelos (mapas) do mundo a partir de informações sensoriais do ambiente, recordações do passado e interpretação do que seja a realidade. As pessoas interagem com este mapa do mundo e não diretamente com a realidade. O mapa determina como se interpreta os acontecimentos na vida e o significado que damos a eles. Em geral, o fator limitante é o mapa individual, e não o mundo em si.

 

 

Selma Di Iulio

Artigos

<< PÁGINA PRINCIPAL >>